Brasil

Marilise: «Uma educação realmente pertinente tem que considerar e realizar a inclusão»

¿Desde cuándo trabajas con educación en contextos de encierro?

Desde agosto de 2010.

¿Cuáles son los desafíos que encuentras para ejercer su trabajo en dichos contextos?

O preconceito de colegas professores, evitando participar do programa que iniciávamos em RO; a elaboração de curso de formação dos atores envolvidos: professores e agentes penitenciários, posto que elaboramos um curso dessa natureza pela primeira vez; manutenção da motivação dos professores que aderiram ao programa.

¿Qué tipo de apoyo necesitas para mejor realizar su trabajo?

O ponto mais relevante na execução do PROEJAFIC – Educação de Jovens e Adultos (EJA), Formação inicial e continuada, foi a atuação intersetorial entre um Instituto Federal- IFRO, articulado com a Secretaria Estadual de Educação de Rondônia – SEDUC-RO e o DEPEN – PF/PVH, Departamento Penitenciário Nacional/MJ e Penitenciaria Federal em Porto Velho/RO.

¿Cómo evalúas la formación de maestras/os para la educación en contextos de encierro y qué recomendaciones harías al respecto?

O IFRO, de maneira articulada como já referimos, elaborou e ministrou um curso FIC de Educação em Prisões (200 horas) para professores e agentes, o que propiciou a troca de experiências e expertise, proporcionando a formação com transferência de tecnologia social e promovendo inovação. O curso foi fundamental para o êxito do programa!

¿Qué te gusta y qué cambiarias en la educación en contextos de encierro hoy en día?

A educação deve ser relevada como fim em si mesma, trabalhada com metodologias inclusivas, preparando todos os atores diretamente envolvidos com cursos de formação e cirandas de discussão, de modo a construir uma rede de tecnologias que deem sustentação às ações educativas, com vistas à consolidação dessa política pública. É vital também que haja elevação de escolaridade juntamente com cursos profissionalizantes, especialmente na educação básica.

¿Qué recomiendas para que la educación sea más pertinente y relevante en tu país?

Essa tem sido uma busca intensa há muito tempo! Universalizamos a educação no Brasil, mas a qualidade da educação ainda é uma meta a alcançar! Uma educação realmente pertinente tem que considerar e REALIZAR a inclusão de milhões de jovens e jovens adultos que ainda não finalizaram o Ensino Fundamental, mantendo-os na escola – políticas de permanência, elevando a escolaridade com real chance de melhorar sua entrada no mundo do trabalho, bem como sua permanência nesse ambiente, e com êxito! O foco deve estar no ensino fundamental, para então falarmos de continuação dos itinerários formativos. Temos no Brasil tecnologia especifica para promover o acesso e manter adultos nas escolas, o que se deve à transferência de tecnologia social exitosa do Canadá para o Brasil através do Projeto Mulheres Mil (MEC/SETEC, 2007-2011), hoje Programa Nacional Mulheres Mil. Essa tecnologia é essencial para que adultos retornem às escolas e lá permaneçam, melhorando sua escolaridade e seu acesso à cultura.

Marilise Doege Esteves, educadora en el Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), en la ciudad de Cuiabá, Brasil. 

Deja tu comentario