Brasil

Camila: «La educación en contextos de encierro debe ser más divulgada, valorada por las autoridades y comprendida como un derecho humano»

¿Desde cuándo trabajas con educación en contextos de encierro?

Trabalho com a educação entre as grades desde 2007.

¿Cuáles son los desafíos que encuentras para ejercer su trabajo en dichos contextos?

O maior desafio encontrado para o trabalho docente em contextos de privação de liberdade é a concepção de algumas pessoas que acreditam que a educação nas prisões é um privilégio, sendo que a mesma é direito humano subjetivo. Além disso, a falta de formação dos/as educadores/as para atuarem na Educação de Jovens e Adultos é um desafio considerável, ainda mais em contextos diferenciados.

¿Qué tipo de apoyo necesitas para mejor realizar su trabajo?

Apoio das autoridades no sentido de investir mais na educação em espaços de privação de liberdade.

¿Cómo evalúas la formación de maestras/os para la educación en contextos de encierro y qué recomendaciones harías al respecto?

Na minha opinião, a formação para os/as educadores/as que atuam em contextos de privação de liberdade é precária, visto que estes/as necessitam ser críticos e reflexivos, conscientes do papel da educação como ferramenta de libertação e protagonismo social.

¿Qué te gusta y qué cambiarias en la educación en contextos de encierro hoy en día?

O que mais me deixa feliz na educação entre as grades é o quanto os/as aprisionados/as valorizam o espaço escolar como sendo a «luz na escuridão», ou seja, uma alternativa para a vida longe da criminalidade.

¿Qué recomiendas para que la educación sea más pertinente y relevante en tu país?

Acredito que a educação entre as grades necessita ser mais divulgada, valorizada pelas autoridades e compreendida com direito humano subjetivo. A sociedade em geral precisa entender que dentro de espaços tão repressivos, como as prisões, algumas práticas sociais podem auxiliar o sujeito aprisionado no retorno ao convívio social longe da criminalidade, e a educação é o melhor caminho para a libertação das consciências.

Camila Menotti, 27 años, educadora en la Fundación Dr. Manoel Pedro Pimentel, Presidente Prudente, estado de São Paulo, Brasil.

Deja tu comentario